Polo Industrial na Zona Leste beneficiará moradores do Aricanduva

Um antigo problema da capital paulista está prestes a ter solução no quesito geração de emprego e renda. Localizado em uma área de 24.289.317 m² da Zona Leste de São Paulo, região carente de postos de trabalho, um grande polo industrial será erguido a partir de um projeto ousado, moderno e integrado. Ele faz parte do Programa de Desenvolvimento Econômico para a Zona Leste, uma iniciativa da Prefeitura de São Paulo.

Ao modernizar a economia da região por meio da construção de novas fábricas, equipadas com um parque industrial de maior automação e tecnologia, abertura e inserção de serviços, a região Leste de São Paulo terá maior competitividade em diversos setores. Com a produção local sendo incentivada, os empresários ganharão em escala industrial e assim conseguirão competir com os produtos importados com responsabilidade social e sem agredir o meio ambiente.

Para desenvolver e fomentar a produção local por meio de investimentos públicos e privados, empresários e entidades que estiverem envolvidos receberão Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento com percentuais escalonados. O projeto prevê um abatimento fiscal previsto na Lei 14.654/ 2007. Quando a empresa beneficiária for industrial ou de serviços poderá abater até 60% do que foi investido; já para atividades comerciais será descontado até 40% dos investimentos.

Ainda dentro da Lei 14.654/ 2007 existe também a redução de 60% no ISS incidente sobre serviços prestados; diminuição de 50% no IPTU referente ao imóvel objeto pelo prazo de 10 anos; além de abatimento de 50% nos serviços de construção civil no Polo e o mesmo percentual sobre o Imposto sobre Transmissão Inter Vivos de Bens Imóveis.

As atividades que estão sendo incentivadas no novo polo, na área da Indústria pertencem aos setores de Equipamentos Elétricos e Eletrônicos, Prospecção e Produção de Petróleo e Gás; Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios, Têxtil e Confecções, Artefatos de Couro e Calçados Finos, Joias e Bijouterias, e Perfumes e Cosméticos. Também terão destaque no polo os segmentos de Transporte (logística, aeroviária, ferroviária e rodoviária), Tecnologia da Informação (TI) e Comércio (Centro de Distribuição de Produtos).

Instalado estrategicamente nas proximidades do Aeroporto Internacional de Guarulhos, Rodoanel, do novo Estádio do S. C. Corinthians Paulista (até o momento chamada de Arena Corinthians ou ‘Fielzão’), o Polo vai gerar outros ganhos para a região como a Logística integrada de produção, além do Programa de Inovação Tecnológica e Competitividade Empresarial e mais a integração com a natureza por meio do Parque Linear Rio Verde.

O Polo Institucional no bairro de Itaquera prevê a construção de um Fórum, escolas técnicas profissionalizantes, cursos de empreendedorismo, serviços de alimentação, incubadora e laboratórios, Centro de Convenções, Auditório, Centro Cultural, Edifício Comercial, unidades da Polícia Militar, Bombeiros e entidades com trabalhos sociais já conhecidos na região, como o Instituto Dom Bosco.

A implantação do Polo Industrial da Zona Leste vai atingir a população de 11 regiões divididas em subprefeituras. São elas: Mooca, Aricanduva, Vila Prudente/ Sapopemba, Ermelino Matarazzo, Itaquera, São Matheus, Cidade Tiradentes, Guaianases, Itaim Paulista e São Miguel Paulista.

Serão criadas diversas vagas de emprego no bairro de Aricanduva.

Segundo o consultor industrial Lourenço Righetti, o projeto é uma iniciativa mais do que bem vinda, é extremamente necessária. ”Em uma região densamente povoada e com poucas alternativas de trabalho, o Projeto Zona Leste já nasce fazendo sucesso, preenchendo uma lacuna e muito favorável, não só ao setor industrial, mas também à população – será um condomínio industrial”, comentou.

Righetti explicou também que as empresas precisam aguardar apenas a publicação de um Edital da Prefeitura de São Paulo para participar do projeto, o que acontecerá nas próximas semanas.

Fonte: Portal Cristianismo




Deixe seu comentário